Uma rede importante de fomento de Cooperativas Populares

Objetivo: Capacitação de empreendedores economicos-solidários paulistanos e imigrantes estrangeiros que atuam na área de alimentação com foco na Rede de Alimentação Solidária (RAS) formada na cidade de São Paulo
Desafio: Introduzir ecogastronomia em seus cardápios e processos
Resultados: Foi criado um cardápio ecogastronomico para a rede, que foi unificada, para melhor produtividade e geração de renda para os empreendimentos.

 

 

 

 

 

Uma Associação de apoio ao Agricultor Rural e Urbano

Objetivo: Criar uma cartilha técnica de conservação de alimentos e outra sobre aproveitamento integral para acompanhar as aulas da Associação.
Desafio: Desenvolver um material de apoio alinhado aos princípios e pesquisas da organização
Resultados: A AATRU tem agora um material de excelente qualidade gráfica e conteúdo técnico que foi publicada em nível nacional e que colabora com a geração de renda através da produção de conservas e menor desperdício de alimentar.

 

 

 

 

 

Um Empreendimento de Barrinhas Energéticas

Objetivo: Desenvolver uma nova marca de produtos de suplementos naturais e integrais para atletas de alta performance.
Desafio: Transformar uma produção caseira em escola industrial, seguindo os processos ecológicos e de segurança alimentar, além criar a linguagem comercial para posicionamento de marca no mercado.
Resultados: Ainda em Andamento

 

 

 

 

 

Uma Escola Infantil na Vila Madalena

Objetivo: Aula de culinária para o público infantil, com conteúdo teórico e prático afim de estreitar os laços da criança com o alimento e melhorar hábitos alimentares.
Desafio: Ministrar aulas de culinárias para o público infantil através de uma linguagem lúdica e divertida
Resultado: Mudança de hábitos de crianças com relação ao alimento, relatado por pais e escola.

 

 

 

 

 

 

Jovens Aprendizes de uma Ong de Educação Cultura e Ação Comunitária

Objetivo: Apresentar o mundo dos alimentos, revelando todo o trajeto que o alimento passa desde sua origem até a chegada no nosso estômago.
Desafio: Desenvolver paladar e despertar a vontade de cozinhar comida de verdade em jovens adolescentes na periferia de São Paulo que têm muito, muito pouca grana.
Resultados: em 2016 os próprios alunos decidiram multiplicar a metodologia em suas comunidades locais. Se apropriaram do conteúdo, trabalharam o material com enfoque próprio. Hoje estão ministrando suas próprias aulas sobre ecogastronomia.

 

 

 

 

 

Um importante Centro de Referencia em Segurança Alimentar da Prefeitura de São Paulo

Objetivo: Capacitar merendeiras e educadores da rede pública da região da Zona Oeste de São Paulo para o plantio e cultivo de hortas escolares e promover a criatividade na cozinha da escola e de casa.
Desafio: Engajar as merendeiras a variar um cardápio fresco e saudável
Resultado: O projeto já está em sua terceira edição e tem aprovação pela secretaria de educação e nutricionistas da Subprefeitura do Butantã da cidade de São Paulo. O projeto já está em fase de multiplicação para outras subprefeituras

 

 

 

 

 

Uma Associação de Reintegração de pessoas em situação de vulnerabilidade social

Objetivo: Inserir dentro da associação o alimento como ferramenta de transformação social porque até o momento o alimento era visto como ferramenta apenas de sobrevivência.
Desafio: Introduzir a educação do gosto de forma acessível, simples e deliciosa para o público atendido em forma de aulas e banquetes de sensibilização.
Resultados: Foi transferido conteúdo ecogastronomico para pessoas que nunca tiveram acesso a história dos alimentos antes, causando impacto positivo na vida das pessoas que vinham contar suas experiências durante as aulas e também teve grande repercussão do projeto em toda a associação trazido pelos diretores da associação.

 

 

 

 

 

Cozinhas no #Bora Plantar

Sem mata não há água.

A recomposição da mata ciliar, que beira as nascentes, é extremamente importante para preservar o solo e para prevenir o assoreamento, que acontece quando a terra, já em processo erosivo, não retém mais a água da chuva e é levada para os rios, secando-os. A manutenção dessa faixa de mata  é uma determinação do Código Florestal Brasileiro.

A maioria dos agricultores, sejam eles orgânicos ou não têm muitas dificuldades de recompor essa faixa de mata, seja por teimosia, ou dificuldades financeiras mesmo.  

O #BoraPlantar é uma iniciativa do M UDA- SP* que organiza mutirões para paulistanos que gostam de botar as mãos na terra para plantar arvores nativas que vão recompor a mata obrigatória em sítios de agricultores ecológicos do município. Auxiliando-os no processo de enquadramento na Lei.

E nós do convívio Como Como fomos chamados para cozinhar no #BoraPlantar e assim realizar o sonho de visitar as terras dos agricultores urbanos, conhecer seus produtos e biodiversidade e cozinhar para todos os que trabalham arduamente nesses mutirões.

É uma passeio e oportunidade incrível de sair da cidade e conhecer sua mata.

Saiba mais sobre o MUDA- SP (Movimento Urbano de Agroecologia de São Paulo): https://www.facebook.com/mudaspoficial/?fref=ts .